Para fornecer às pessoas com deficiência e mobilidade reduzida informações sobre as opções de serviço e lazer acessíveis é que foi criado o Guia de Acessibilidade e Cidadania de Salvador, lançado terça-feira (8) no auditório do Centro de Pastorais – Arquidiocese de São Salvador. A publicação é uma iniciativa da organização não-governamental Vida Brasil, em parceria com a Secretaria Estadual da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos, Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia da Bahia (Crea/BA) e Handicap International.

O guia contém informações sobre os locais que oferecem condições de visitação para todas as pessoas, em especial para aquelas com deficiência ou dificuldade de locomoção. As dicas vão desde lugares de passeio, como praças, museus e restaurantes, a locais de prestação de serviços públicos para a população da cidade.

O guia está dividido em seis capítulos, que explicam como as pessoas podem chegar aos locais, o horário de funcionamento, dicas de serviço e se há pontos de ônibus nas proximidades e vagas adaptadas nos estacionamentos.

O coordenador da Vida Brasil, Damien Hazard, explicou a importância do guia. “Essa publicação é um instrumento que visa incentivar o exercício do direito e a participação das pessoas com deficiência e mobilidade reduzida nos espaços da sociedade. Não é só o primeiro guia de acessibilidade, mas o primeiro guia popular e multimídia feito para a sociedade soteropolitana”.

A representante da Secretaria da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos, Veruska Ferraz, afirmou que a secretaria apoiou a publicação do guia porque acredita em iniciativas como essa, porque sabe que a publicação é mais um passo para transformar a realidade de Salvador e da Bahia. “Acessibilidade, hoje, não é mais só uma interrogação. É um direito assegurado pela legislação. E esse guia é só o primeiro passo”, ressaltou.

O representante do Crea/BA, Jonas Dantas, falou sobre a importância desse trabalho. “Isso é mais uma conquista, dentro de muitas outras que teremos que realizar”.

O padre Ademar Dantas disse que foi uma alegria realizar o lançamento do guia no Centro de Pastorais. “É uma grande satisfação participar dessa celebração, receber vocês nesse evento, no espaço desenhado pela arquiteta Denise Calazans, que traduziu no projeto a preocupação do arcebispo-primaz do Brasil, dom Geraldo Magela, em tornar esse local acessível”.

O início de tudo

A ideia de fazer o Guia de Acessibilidade e Cidadania de Salvador surgiu em 1997, após a aplicação da pesquisa Salvador, uma Cidade Deficiente?, que tinha como objetivo medir o nível de acessibilidade da Cidade de Salvador. Mas foi só no ano de 2007 que a pesquisa para o guia foi iniciada.

Para produzir o guia, uma equipe, com arquitetos, urbanistas e comunicadores, realizou diversos estudos de conteúdo e de campo para selecionar os locais considerados acessíveis.

Os pesquisadores dividiram-se em duplas – uma delas com alguma deficiência – para observar, identificar e testar as instalações dos locais citados no guia, o percurso para conduzir até o destino e o transporte coletivo.