Entre 135 criações de vídeos, música, imagens e programas de rádio para a primeira etapa da Chamada Criativa “Cultura Baiana é o quê?”, realizada por meio da ONG Eletrocooperativa, em parceria com a Secretaria de Cultura do Estado (Secult), foram escolhidos 33, que mostraram seus significados utilizando expressões artísticas focadas principalmente nas tradições das festas populares, religião e cultura afro.

A mistura de cores, povos, religião e a expressão artística resultou em trabalhos como o de Tainã Vianna, que mostrou o Dique do Tororó e seus famosos orixás, e de Antonio Barreto, apresentando as populares festas de largo por meio da literatura de cordel, que passeia pelos principais festejos populares da cidade, a exemplo da Lavagem Bonfim, da Festa de Santa Bárbara, da Festa de Iemanjá. A tradicional Feira de São Joaquim não ficou de fora e recebeu homenagens.

A estudante Jamile Coelho fez referência à tradição afro e mostrou como a capoeira, os orixás e o candomblé se tornam, para ela, os principais elementos da cultura baiana. “E assim podemos observar qual a principal influência cultural de nossa terra. Seja na baiana subindo a ladeira, com o tabuleiro na cabeça, seja na roda de capoeira ao som do berimbau”.

A Chamada Criativa “Cultura Baiana é o quê?” continua com inscrições abertas para ouvir o que as pessoas têm a dizer sobre essa diversidade. Para participar basta acessar o site da Eletrocooperativa. A inscrição é gratuita.

A 2ª etapa está com inscrições abertas até o dia 23 deste mês e a 3ª etapa até 24 de maio. As Chamadas Criativas são realizadas em três etapas sendo que os participantes inscritos e não selecionados nas etapas anteriores estão automaticamente inscritos para as outras seleções.

O objetivo da iniciativa é dar espaço para quem tem pouca ou nenhuma oportunidade de mostrar o que sabe e o que pode fazer utilizando ferramentas convencionais e midiáticas. Desde o lançamento do portal da Eletrocooperativa, em 2009, já foram realizadas quatro chamadas criativas, com um total de 135 selecionados. Até o momento, a rede possui quase duas mil pessoas cadastradas em todo país compondo um acervo de mais de três mil criações entre textos, vídeos, imagens, músicas e programas.