A Bahia tem o programa com o estágio mais avançado de apoio aos Arranjos Produtivos Locais (APL) do país. A avaliação é dos representantes do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) Manoel Pacheco, do escritório da instituição em Brasília, e Gabriel Casaburi, da regional de Buenos Aires, que estão em Salvador para acompanhar o andamento do Programa de Fortalecimento da Atividade Empresarial (Progredir), que conta com recursos do banco. 

Este momento foi escolhido para a visita porque a maior parte dos APL apoiados estão na fase de implantação de planos de negócios e de delineamento dos projetos estruturantes – fase considerada essencial para o sucesso da iniciativa e que vai contar com recursos de US$ 7 milhões. 

O BID apóia projetos desta natureza em toda a América Latina e em outros estados brasileiros. Para o coordenador executivo do programa Progredir, Jackson Ornelas, o contato tem sido positivo. “Nosso principal objetivo é deixar como legado um avanço nas formas de articulação e aproximação entre poder público e setor privado, de forma que eles maximizem a promoção do desenvolvimento do estado”, avaliou. 

Ornelas afirmou, ainda, que a missão vai a Ilhéus conhecer os trabalhos do APL de Turismo de Aventura, que tem forte viés de inovação. “A maioria dos arranjos tem foco em redes empresariais e este é essencialmente um agrupamento de prestadores de serviços, o que faz dele um exemplo”, completou. 

Os APLs são aglomerações de empresas, localizadas em um mesmo território, que apresentam especialização produtiva e mantêm vínculos de articulação, interação, cooperação e aprendizagem entre si e com outras instituições locais como governo, associações empresariais, instituições de crédito, ensino e pesquisa. Atualmente, o Programa está presente em 68 municípios em 14 Territórios de Identidade da Bahia. 

São beneficiários do Progredir os APLs de Tecnologia da Informação, na Região Metropolitana do Salvador (RMS), Transformação Plástica, também na RMS, Confecções, na RMS e em Feira de Santana, Fruticultura, em Juazeiro e Vale do São Francisco, Cadeia de Fornecedores Automotivos, na RMS, em Feira de Santana e no Recôncavo, Turismo, na Zona do Cacau, Piscicultura, em Paulo Afonso, Derivados da Cana-de-Açúcar, na Chapada Diamantina, Caprinovinocultura, em Senhor do Bonfim e Juazeiro, Rochas Ornamentais em Ourolândia, Jacobina e Lauro de Freitas, e Sisal, em Serrinha, Valente e outros municípios da região sisaleira. 

A prorrogação do contrato entre Governo do Estado e o BID, que seria encerrado em dezembro, será definida em outubro próximo. Até junho, haverá uma nova reunião entre os representantes do BID para uma nova avaliação do andamento do Progredir.