A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determinou como medida de interesse sanitário a suspensão da fabricação, distribuição, comércio e uso, em todo o território nacional, do produto Lava-Louças Passelimp e demais saneantes domissanitários (produtos para limpeza) sujeitos ao regime de vigilância fabricados pela Roberto Andrade Júnior ME, com sede em Passa Tempo, Minas Gerais. A Anvisa declara que a empresa não possui autorização de funcionamento perante a agência.

A Diretoria de Vigilância Sanitária e Ambiental (Divisa) da Secretaria Estadual da Saúde (Sesab) informa à população que a Anvisa também determinou a apreensão e inutilização, em todo o país, dos lotes 20385, 14328 e 12953 ou quaisquer outros na concentração de 250 miligramas do medicamento Decadurabolin, cujo original é fabricado pela Schering-Plough Indústria Farmacêutica Ltda. A concentração de 250 miligramas está disponível nos lotes originais do produto.

Também como medida de vigilância sanitária, a Anvisa determinou a apreensão da Água Mineral Natural Sem Gás, marca Vernatt, com validade até abril deste ano, fabricada por Bartolomei Ltda., por ter sido detectada presença de clostrídios sulfitos redutores acima do limite máximo permitido pela legislação vigente, além de apresentar rotulagem em desacordo com as determinações legais.

Outra medida da Anvisa divulgada pela Divisa foi a interdição cautelar do lote 001 do amendoim da marca Novo Horizonte, 500 gramas, fabricado pela Produsa – Produtos Duarte Santos Ltda., com validade até agosto deste ano, por apresentar teores de aflatoxinas superiores ao permitido pela legislação sanitária.