Crianças de dois meses até quatro anos e 11 meses residentes em 83 municípios que fazem parte das Diretorias Regionais de Saúde (Dires) de Feira de Santana, Santo Antônio de Jesus, Eunápolis, Teixeira de Freitas, Itapetinga e Barreiras, começaram a ser vacinadas, nesta segunda-feira (22), contra a meningite tipo C. Nessa faixa etária, a criança corre o maior risco de adoecer e morrer.

Embora o esquema vacinal recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e assumido pelo Programa Nacional de Imunizações do Brasil seja para vacinar menores de dois anos, a Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab), assumiu a ampliação da faixa etária determinada. 

De acordo com a superintendente de Vigilância e Proteção da Saúde, Lorene Pinto, as crianças menores de um ano receberão duas doses de vacina, com reforço entre 12 e 24 meses. As crianças maiores de um ano recebem dose única da vacina. “A vacinação neste grupo específico como medida preventiva, importante tanto no plano individual quanto coletivo pelas evidências já documentadas, permite que se estabeleça uma resposta ampliada, com a formação de imunidade de grupo para outras faixas etárias”, explicou a superintendente. 

O termo meningite expressa a ocorrência de um processo inflamatório das meninges (membranas que recobrem e protegem o cérebro e a medula espinhal). Pode ser causada por diversos agentes infecciosos como bactérias, vírus e fungos, dentre outros, e também provocada por processos não-infecciosos. 

Em geral, a transmissão dos agentes bacterianos é de pessoa a pessoa, por meio das vias respiratórias, por gotículas e secreções da nasofaringe, havendo necessidade de contato íntimo (residentes da mesma casa, colega de dormitório ou alojamento) ou contato direto com as secreções respiratórias do paciente. Indivíduos de qualquer idade são suscetíveis às meningites, entretanto, o grupo etário de maior risco para adoecer é o de crianças menores de cinco anos.