Cuidar da saúde dentro de casa é possível. O Programa de Internação Domiciliar (ID), implantado pela Secretaria da Saúde do Estado em diversas unidades hospitalares da rede, além de proporcionar uma recuperação mais rápida aos pacientes, promove a humanização, diminuindo o sofrimento da pessoa em tratamento, que passa a ter mais contato com a família.

A ID já é realidade em Barreiras, no Hospital do Oeste (HO), unidade administrada pelas Obras Sociais Irmã Dulce. O sucesso do programa colocou o hospital em segundo lugar em captação de pacientes, entre os outros 22 hospitais do Estado que atendem seus pacientes nas próprias casas.

Formado por uma equipe multidisciplinar, um fator importante promovido pelo programa é a redução do risco de infecção e também de reinternação do paciente. Acolhida pela ID desde janeiro deste ano, Noemar Barreto, que teve coma diabético em dezembro do ano passado, é testemunha de que o programa só tem trazido benefícios.

Noemar diz que ficou internada por mais de 20 dias, na UTI e na clínica médica. Por ter ficado muito tempo acamada, acabou sofrendo com as escaras, ferimentos que surgiram em suas costas. “Além disso, por conta da própria diabete, estou sem a movimentação completa do pé esquerdo. O acolhimento da família e o carinho da equipe que me atende são imprescindíveis para a minha recuperação e isso tem dado resultado. Hoje ando e a ferida está quase toda fechada”, conta a professora.

Estrutura

O programa de Internação Domiciliar do HO está no oitavo mês. Com quase 100 pacientes recebendo visitas da equipe, é formada por médicos, técnicos de enfermagem, enfermeiros, nutricionista, fisioterapeutas e coordenadores.

Para a coordenadora técnica da Internação Domiciliar, Isabelle Pinheiro, o programa é bem-sucedido por vários motivos, entre eles, a recuperação mais rápida dos pacientes. Ela afirma que ficar em casa e receber os cuidados da família agiliza a recuperação e a alta do paciente acontece em um prazo menor. “Também é importante falar que a ID aumenta a oferta de leitos no HO, uma vez que o paciente vai ser atendido no domicílio. A Internação Domiciliar, no Hospital do Oeste atende também crianças, um diferencial já que tem um pediatra incluso no programa. É bom ressaltar que este é o primeiro ID gerenciado por uma instituição filantrópica”, explica a coordenadora técnica.

Entre os requisitos para a participação no programa, um deles é ter um domicílio em Barreiras. Também é necessário que o paciente possua doenças crônico-degenerativas agudas, doenças que necessitem de cuidados paliativos e portadores de incapacidade funcional, provisória ou permanente. Outro requisito importante é a identificação de um cuidador, pessoa responsável pelo doente e que será treinado para a função.