A campanha de vacinação contra a gripe Influenza A (H1N1) foi lançada, nesta segunda-feira (8), no Hospital Octávio Mangabeira, referência no estado para o tratamento da doença. Na primeira etapa, que seguirá até o dia 19 deste mês, a população indígena e os profissionais que trabalham em serviços de saúde serão imunizados. O ato contou com a presença do secretário da Saúde da Bahia, Jorge Solla, acompanhado da superintendente de Vigilância e Proteção da Saúde, Lorene Pinto.

De acordo com o Ministério da Saúde, o objetivo da campanha é reduzir o risco de expansão e transmissão do vírus, que, segundo a Organização Mundial de Saúde, já circula em 209 países. Serão vacinados os trabalhadores de saúde, englobando o grupo de equipes de limpeza, recepcionistas e motoristas de ambulância e também os que atuam em laboratórios e em investigação de campo como agentes de vigilância em saúde.

A intenção é garantir que esses profissionais estejam em condições favoráveis para atender os pacientes com a gripe, além de imunizar grupos da população selecionados em razão do maior risco de adoecer e ter complicações decorrentes da doença.

Serão 3.502 salas de vacina, distribuídas em todos os municípios baianos que atenderão a aproximadamente 170 mil pessoas. Esses postos foram montados pelos municípios, que tem a responsabilidade da operacionalização da vacinação. No caso da população indígena, a responsabilidade é da Fundação Nacional de Saúde (Funasa).

Para garantir que todos os profissionais de saúde sejam vacinados, as doses serão disponibilizadas em todas as unidades municipais de saúde. Profissionais lotados em hospitais de grande porte terão acesso às vacinas no próprio local de trabalho.

Em 2009, na Bahia, foram notificados 1.370 casos de Influenza A, sendo 243 confirmados, com 14 óbitos. Este ano, não houve, até agora, confirmação de casos no estado.