LOCAL: município de Juazeiro, no território de identidade Sertão do São Francisco, a 500 quilômetros de Salvador.
DATA: 05.03.10 (sexta-feira)
HORÁRIO: 9h

O QUE É: inauguração da primeira etapa do Projeto Salitre.

INFORMAÇÕES ADICIONAIS:

SALITRE: é um projeto de irrigação situado à margem direita do Rio São Francisco, a 20 quilômetros da sede municipal de Juazeiro, executado pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf). A implantação do perímetro irrigado está dividida em cinco etapas. Nesta primeira, serão destinados 255 pequenos lotes para agricultores familiares e 68 lotes para médias empresas, totalizando mais de 5 mil hectares de área dotada de infraestrutura hidráulica para irrigação. Quando totalmente implantado, o projeto ocupará uma área bruta de 67,4 mil hectares, sendo 33,9 mil ha para agricultura irrigada (31.305 ha de área útil), 16,6 ha de área de sequeiro e 16,9 ha de reserva legal e preservação permanente. O Salitre conta com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) na ordem de R$ 251,5 milhões, entre 2007 e 2010. O investimento total é de R$ 900 milhões. Após a conclusão do projeto, a expectativa é de que sejam gerados 30 mil empregos diretos e 60 mil indiretos, beneficiando uma população de aproximadamente 180 mil pessoas em Juazeiro e região.

PRIMEIRA ETAPA: as médias empresas beneficiadas pelo projeto receberão o terreno com ponto de irrigação e energia, enquanto cada lote de pequenos agricultores terá ponto de água pressurizada, postes de energia elétrica e financiamento para compra do kit de irrigação de acordo com o cultivo desejado.

SEGUNDA ETAPA: o projeto executivo está em fase de elaboração. Serão implantados mais de 7 mil hectares nesta fase. A previsão é que sejam investidos R$ 155 milhões.

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: em parceria com o Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), serão apoiadas práticas de uso sustentável dos recursos florestais da área de reserva legal do perímetro, que corresponde a 20% do total do terreno, para geração de novas receitas ou produtos a serem utilizados pelos produtores. Ainda serão promovidas ações de recuperação das áreas de preservação permanente, capacitação de brigadas de combate às queimadas e incêndios florestais e educação ambiental.