A Bahia é um dos três primeiros estados, seguido de Minas Gerais e Paraná, a aderir ao Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal (Sisbi). Esse sistema permitirá aos serviços de inspeção estadual e municipal a equivalência com o Serviço de Inspeção Federal (SIF), ampliando o comércio interestadual de produtos de origem animal da Bahia nas diversas escalas de produção em todo o país.

“Isso aumenta a possibilidade de inserção dos estabelecimentos baianos nos mercados consumidores altamente competitivos nas unidades da federação”, explicou o diretor-geral da Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab), Cássio Peixoto.

Para conseguir a equivalência do Sisbi, a Adab realizou oficinas e treinamentos com seus funcionários, bem como cursos em parceria com o Ministério da Agricultura para harmonizar e padronizar os procedimentos de inspeção.

“Nosso estado foi o primeiro a ter um parecer favorável do setor jurídico do Ministério da Agricultura para aderir ao sistema que permitirá às indústrias de produtos de origem animal com o Serviço de Inspeção Estadual (SIE) realizar o comércio interestadual, que atualmente é impedido pela Lei 7889/89”, disse o diretor de Inspeção da Adab, Paulo Emílio Torres.

Para o diretor do Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal (Dipoa), Nelmon Oliveira, a adesão da Bahia, Minas Gerais e Paraná, além do Rio Grande do Sul e Mato Grosso (ainda não tiveram a adesão oficializada), mostra que a equivalência dos serviços de inspeção no país não é impossível.

“Os estados passaram por auditorias técnicas muito rigorosas, mas estamos satisfeitos com os resultados, porque eles mostram os benefícios para toda a cadeia produtiva”, destacou Oliveira, declarando que os estabelecimentos auditados ganham com a possibilidade de ampliação do mercado, o município gera mais emprego e renda e o consumidor tem um alimento mais seguro na mesa.