Com expectativa de safra recorde, a região oeste do estado, oficializa o início da colheita da soja. A estimativa é de que sejam colhidas aproximadamente 2,9 milhões de toneladas do grão, o que representa um aumento de 21% em relação à safra anterior. 

Para marcar esse momento importante para a economia agrícola baiana, acontece, no próximo sábado (20), a partir das 8h30, a 12ª Passarela da Soja (um Dia de Campo), na Fazenda Maria Gabriela, localidade de Roda Velha, no município de São Desidério. O evento é organizado pela Fundação Bahia e Embrapa Soja e conta com o apoio do Governo da Bahia, por meio da Secretaria da Agricultura, Irrigação e Reforma Agrária (Seagri). A expectativa é reunir um público superior a mil participantes, entre produtores, técnicos, empresários, pesquisadores e estudantes. 

O secretário da Agricultura, Roberto Muniz, que representará o governador Jaques Wagner no evento, avalia o aumento da produção à associação com a tecnologia. “Além disso, a Seagri, por meio da Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab), em parceria com os produtores e as instituições de pesquisas, desenvolve ações para prevenir e conter as pragas que podem afetar a lavoura”. 

“A Fundação Bahia é uma entidade difusora de conhecimento, com o qual o produtor pode otimizar seu investimento e trabalho na lavoura", diz o presidente da entidade, Amauri Stracci. O evento ainda conta com o apoio da Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba), prefeituras de Luís Eduardo Magalhães e São Desidério, Sindicato Rural de Luís Eduardo Magalhães, do Banco do Nordeste, Banco do Brasil e Kuhlmann Laboratórios. 

Novos cultivares
A Passarela da Soja é um dia de campo com cinco estações experimentais, na qual o público vai conhecer os resultados das pesquisas feitas e assistir palestras dos especialistas, com apresentação de novidades em cultivares de soja adaptadas à região. Uma atenção especial será dada à sanidade, abordando, além do mofo branco, ferrugem, nematóides e lagartas.

Este ano, a Fundação Bahia também vai lançar três novos cultivares desenvolvidos em parceria com a Embrapa de Londrina (PR). São as BRS BA 313 (convencional precoce), BRS BA 314 (variedade convencional de ciclo médio) e BRS BA 315 (RR de ciclo médio). A participação e o material didático são gratuitos. As inscrições serão feitas a partir das 7h30, no local do evento.

Praga em estudo
Comum nas lavouras de feijão, mas que vem ocorrendo com freqüência nas plantações de soja, a praga do Mofo Branco terá uma discussão aprofundada, com apresentação dos resultados de pesquisas de controle desta doença. A idéia é mostrar que existem formas de reduzir as perdas, utilizando cada vez menos fungicidas na sojicultura. 

A Bahia ocupa a sétima posição no ranking nacional dos maiores estados produtores de soja. Com produção em 2009 de 2,4 milhões de toneladas, representando 4,4% da produção nacional e 59% da produção do Nordeste, a soja baiana tem, na região oeste, o seu maior pólo produtor. 

Dentre as pragas fúngicas que podem afetar o cultivo dessa oleaginosa estão a Ferrugem Asiática e o Mofo Branco. O trabalho desenvolvido pela Adab, neste segmento, tornou-se referência nacional para o controle da Ferrugem Asiática da Soja. “Com a constituição da Parceria Público-Privada (PPP) formada pela integração do setor produtivo e poder público, tem sido possível determinar a presença da ferrugem da soja em tempo hábil e também o manejo em 100% da área infectada, assegurando a manutenção dos tetos de produção e produtividade compatíveis com o nível tecnológico utilizado na região”, declara o diretor geral da Adab, Cássio Peixoto. 

Entre as medidas executadas pela Adab neste processo, tem garantido a manutenção do nível elevado de produtividade da soja na região oeste, o treinamento e capacitação de técnicos e produtores, manutenção dos laboratórios de fitopatologia, com análise gratuita de milhares de amostras, manutenção de um banco de dados permanente – Sistema de Alerta Fitossanitário, cadastramento dos produtores e fiscalização do vazio sanitário da soja.