Quem não dispensa postar um vídeo de produção doméstica na Internet, terá uma boa oportunidade de produzir um microfilme mais bem elaborado, do ponto de vista técnico, durante a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia na Bahia, que será realizada de segunda-feira (19) até o dia 25 deste mês. O evento é uma realização do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), em parceria com a Universidade do Estado da Bahia (Uneb).

Além do acesso à informática e da internet banda larga, o estande do Centro Digital de Cidadania (CDC), do Programa Cidadania Digital, montado no Museu de Ciência e Tecnologia, da Uneb, na Avenida Jorge Amado, no Imbuí, estará oferecendo também uma oficina de produção de minivídeos.

Em parceria com a Secretaria Estadual da Cultura (Secult), durante os dias 19, 20 e 21, a oficina vai abordar a linguagem cinematográfica, com ênfase na roteirização, captação e edição de imagens no software livre Kino. Segundo o professor Cláudio Manoel, da assessoria de cultura digital da Secult, os microfilmes terão um minuto de duração.

A oficina começa às 14h30 e termina ás 17h30. No dia 22, os minivídeos produzidos serão exibidos ao público em um telão, a partir das 17h30. Além da oficina, a Secult vai exibir, nos dias 20, 21 e 23, a partir das 17h30, no auditório do Museu de C&T, os filmes do Festival 5 Minutos.

Blogs

Também os candidatos blogueiros terão espaço no estande CDC. No Centro, eles poderão participar das oficinas de criação de blog e de utilização do Gimp, o software para tratamento de imagens correspondente ao Photoshop. O técnico em manutenção de computador e instrutor do Cidadania Digital, Fábio Santos Silva, informou que a oficina ensinará desde entrar na internet a procurar e criar um blog, postar textos e imagens e divulgá-lo, tudo em linguagem simples.

Considerada a maior iniciativa estadual para a inclusão sociodigital do Brasil, o Programa Cidadania Digital já instalou 704 unidades em todo a Bahia. Cada CDC é equipado com dez computadores, uma impressora e internet banda larga.

O Cidadania Digital foi criado em 2007 como substituto ao antigo programa de identidade digital do Estado. O foco passou a ser a inclusão sociodigital e, para isso, foram implementadas ações de capacitação, cidadania e novas possibilidades de renda para as comunidades envolvidas. Além de fomentar o uso dos CDCs existentes pela população, a Secti está ampliando a rede de centros, contemplando bairros periféricos, assentamentos rurais, comunidades de quilombolas, afro-descendentes e indígenas.