Doze pessoas capturadas, vários assaltos elucidados, duas pistolas 380, dois veículos, uma espingarda, um colete a prova de balas e cartuchos de diversos calibres apreendidos. Esse foi o resultado da Operação Chapada, realizada por policiais da 13ª Coordenadoria de Polícia do Interior (Seabra) e da delegacia local. A ação, colocada em prática depois de três meses de investigações, impediu um assalto ao Banco do Brasil da cidade e o sequestro de um empresário da região.

“As investigações continuam e vítimas serão convocadas para fazer o reconhecimento dos acusados”, afirmou o titular da delegacia de Seabra, Rafael Almeida de Oliveira. Ele acredita que vários roubos ocorridos na região da Chapada Diamantina, inclusive assaltos praticados na BR-242, serão elucidados com essas prisões.

A quadrilha, composta por Carlos Roberto Macedo da Silva, Cláudio Oliveira dos Santos, Cristiane Páscoa das Neves, José Renato Mais dos Santos, Leôncio Ferreira Júnior, Maria Raimunda Santos, Salomão Santos Lima, Thardys Cunha de Souza, Luís Gonzaga Filho, Márcio dos Santos Miranda adiou o assalto ao BB por causa da greve dos bancários.

O delegado Marcos Tebaldi, da Coordenadoria de Operações Especiais (COE), esclareceu que a polícia preferiu se antecipar e prender os bandidos antes que executassem o assalto para evitar possíveis confrontos. “Já temos material suficiente para indiciar a quadrilha em inquérito”, explicou.

Dois dos acusados, Salomão e Carlos Alberto, eram foragidos do Complexo Penitenciário do Estado, quando saíram beneficiados pelo indulto do dias dos pais e não voltaram. Juntamente com os demais presos na operação, eles foram apresentados à imprensa nesta sexta-feira (2), pelo secretário de Segurança Pública, César Nunes, e o delegado-geral, Joselito Bispo, no auditório da SSP.