O Território de Paz chega a mais um município baiano. Depois de Salvador, foi a vez de Camaçari receber oficialmente as ações sociais do Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci). O evento foi realizado nesta quinta-feira (8), contando com a presença de secretários de Estado, como os da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos, Nelson Pellegrino, e de Segurança Pública, César Nunes.

Mais uma vez, o Projeto Mulheres da Paz, capitaneado pela Secretaria de Desenvolvimento Social e Combate à Pobreza (Sedes), marcou presença e deu mais visibilidade à comunidade. O projeto foi ressaltado pelas autoridades como um dos mais importantes na pacificação do território e na construção de uma cultura de paz.

Ailma Purificação, 32 anos, moradora do Phoc 3, é uma das selecionadas para tornar-se mulher da paz. Ela acredita que o que está aprendendo nas capacitações contribuirá para sua ação na comunidade, ajudando-a a construir e fortalecer as redes sociais de prevenção e enfrentamento da violência que envolve os jovens. “A minha cidade estava precisando de um projeto desses para ajudarmos os nossos jovens e trazê-los para o convívio social”, disse.

Carla Novais, 25 anos, moradora do Phoc 2, também aderiu ao projeto para ser mais conhecida na sua comunidade como uma multiplicadora da paz. “Desse forma, juntas, podemos mudar a realidade dos jovens de Camaçari, que precisam de mais atenção. Vamos ter mais vozes, ter mais força e credibilidade”, disse, citando como alternativas para esta mudança a inserção dos jovens nas escolas, oficinas de aprendizagens, entre outros serviços que a rede oferece.

O prefeito de Camaçari, Luiz Caetano, afirmou que o Mulheres da Paz é muito importante para o município. “Tenho certeza de que esse projeto dará certo pela liderança que essas mulheres já exercem nas suas comunidades”. Para ele, as mulheres terão força para conversar com os jovens e para ajudar as pessoas que estão em vulnerabilidade, trazendo-as para o convívio familiar e social. “As mulheres estão tomando conta cada vez mais do nosso país”.

Capacitação 

Para ajudar na prevenção e enfrentamento às violências que envolvem crianças e jovens em risco social, as mulheres estão sendo capacitadas sobre a rede socioassistencial, políticas públicas, relações sociais, direitos humanos, cidadania e mediação de conflitos e cultura de paz.

Inseridas no projeto, elas receberão uma bolsa-auxílio no valor de R$ 190, durante um ano. A coordenadora do projeto no estado, Heloiza Egas, disse que elas ajudarão a incentivar o interesse de jovens em risco social a participarem de atividades sociais, educacionais, assistenciais, culturais, esportivas e de saúde. “O papel das mulheres da paz é de somar nas ações que já existem na comunidade, na reivindicação de direitos básicos, e contribuir para o enfrentamento à violência, na perspectiva da construção de uma cultura de paz”.

Estiveram presentes as sessenta e cinco mulheres já selecionadas para o projeto no município e que se encontram em capacitação. Em breve elas iniciarão sua atuação nas comunidades vulneráveis do município. Uma seleção complementar será realizada ainda este mês, completando as 100 mulheres contempladas pelo projeto no município.