As ações de combate à dengue na Bahia ganharão o reforço da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas). Dentro do termo de cooperação técnica entre a Opas e a Secretaria da Saúde do Estado (Sesab), a prevenção da doença entrará como mais um objetivo. O projeto de cooperação entre a Sesab e a Opas prevê também a implantação, até dezembro, de um atendimento especializado para adolescentes gestantes, de forma integral.

“É de grande importância incluir ações de prevenção da dengue nessa cooperação, já que a luta contra a doença é um grande desafio”, comentou o secretário da Saúde, Jorge Solla, durante reunião ocorrida nesta quinta-feira (1º) com os representantes da Opas, Enrique Gil e José Luis San Martin, Luis Codina e Patrício Jamryska, os dois primeiros representantes especialistas em doenças endêmicas e transmissíveis e os demais da área de saúde do adolescente da organização.

Foram discutidas intervenções que podem ser feitas para o combate à dengue e como devem ser redirecionadas as ações já implantadas, com o objetivo de potencializá-las. Serão feitos também estudos de fatores determinantes para o óbito por dengue e do comportamento e crenças da população em relação ao vetor (mosquito Aedes aegypti). Para a diretora de vigilância epidemiológica da Sesab, Alcina Andrade, esses estudos possibilitarão a tomada de decisões com base em estudos científicos.

Na cidade de Itabuna, onde o índice de infestação da doença é alto, já está sendo desenvolvido um projeto especial, em que diversos setores da sociedade estão envolvidos. Governo do Estado, Prefeitura, Ministério Público, além de outras instituições, estão trabalhando juntos no combate à doença.

Para o consultor San Martin, a dengue é um problema multisetorial, não unicamente da saúde. “As causas da infestação estão no meio ambiente, o vetor está na residência de cada um e todos devem entrar no combate”, disse, acrescentando que “a eliminação física dos criadouros é mais eficiente que a utilização de produtos químicos”.

Atendimento a adolescente gestante

O atendimento especializado para adolescentes gestantes, de forma integral, será disponibilizado nas maternidades Tsylla Balbino, Iperba e Professor Maria de Magalhães Netto. Equipes multiprofissionais – médicos, enfermeiros, psicólogos e assistentes sociais – farão o acompanhamento de toda a gestação, além dos cuidados no parto e pós-parto.

Para esse atendimento, os profissionais serão capacitados por especialistas da Opas. As maternidades serão preparadas para receberam as adolescentes, dispondo de áreas para acolhimento, ambulatório pré-natal e de planejamento familiar. Será garantido ainda o direito de acompanhante para a gestante. Segundo Débora do Carmo, a intenção é fazer com que essas maternidades sejam referências para o atendimento à gestante adolescente e que os profissionais sejam multiplicadores, para que esse tipo de atendimento chegue a todo o estado.

“A gestação na adolescência requer cuidados na área social e, por isso, esse atendimento específico”, falou a diretora de Gestão do Cuidado da Sesab, Débora do Carmo. Por isso, os objetivos da implantação desses serviços são trabalhar não só os riscos obstétricos, mas também os sociais com o foco na prevenção de mortalidade materna e infantil, além da redução da segunda gestação na adolescência.