As fontes sagradas de água utilizadas por Terreiros de Salvador e Região Metropolitana estão sendo identificadas, recuperadas e conservadas pelo Governo do Estado, por meio de um convênio celebrado entre o Instituto de Gestão das Águas e Clima (Ingá) e Secretaria de Cultura (Secult).

Além do mapeamento e conservação da parte histórica e arquitetônica, será feita também a análise da qualidade das águas, o levantamento das espécies botânicas utilizadas nos rituais e um trabalho de educação ambiental. O trabalho deve ser executado até dezembro de 2009, em um investimento de R$ 50 mil.

Fazem parte da etapa inicial do Projeto Águas Fontes da Vida os terreiros da Casa Branca, Ilê Axé Gantois, Mokambo, Kalebokun, Ilê Axé Oyá Tolá, Candeias (Passagem dos Teixeiras, Mocambo Dandalunda, Modum-Zoo, Ilê Axé Oxumaré e São Jorge da Gomeia em Lauro de Freitas (Bairro de Portão).