Publicada às 19h40

Atualizada às 20h

A capital baiana pode sediar a Copa 2014 com tranquilidade. Esta é a conclusão de um estudo sobre a estrutura de Salvador entregue nesta quarta-feira (28) ao governador Jaques Wagner e ao secretário extraordinário da Copa, Ney Campello. O relatório foi realizado pela Associação Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDIP) nas 12 cidades-sedes da copa. O levantamento visa adequar as cidades às exigências da FIFA.

De acordo com o presidente da ABDIP, Paulo Godoy, o estudo analisou os desafios que as cidades-sede da Copa do Mundo terão para realizar o evento. Foram analisados nove pontos, como mobilidade urbana, hospitais, telecomunicações, rede hoteleira, serviços, portos, aeroportos, energia e segurança pública.

Godoy explicou que a análise de Salvador demonstra que os pontos observados podem ser solucionados com rapidez, sem inviabilizar a realização da Copa 2014. “A articulação do Governo do Estado com a prefeitura pode fazer com que Salvador se apresente muito bem nos jogos. Não apontamos nada grave que pudesse prejudicar a realização do evento na Bahia. A cidade tem condições de sediar a copa”.

Para que jogos da Copa do Mundo de 2014 sejam sediados na capital baiana, o Governo do Estado tem realizado diversas ações em infraestrutura, mobilidade urbana, construção do novo estádio da Fonte Nova, turismo, saúde e segurança pública.

Articulação

Segundo Campello, o Estado está articulando várias ações junto às esferas públicas e privadas, atraindo investimentos que viabilizem as metas previstas e impactem a economia local. Ele explica que alguns dos pontos levantados pelo diagnóstico já estão sendo resolvidos, como a abertura do processo de licitação para a construção do estádio da Fonte Nova, mobilidade urbana, que será realizada em parceria com a prefeitura municipal, modernização da rede hoteleira, ampliação da rede hospitalar e obras de infraestrutura em geral.

“Trabalharemos para que a Copa se torne um marco histórico que projetará o país como destino turístico internacional, como ambiente de negócios e atração de capitais, caracterizado pela requalificação do meio urbano, geração de trabalho, emprego e renda e soluções inovadoras para problemas estruturantes e dramáticos das cidades modernas, a exemplo da mobilidade urbana”, afirmou Campello.

Aeroporto tem capacidade para atender à demanda da Copa

O secretário informou que os dirigentes da ABDIB deverão retornar a Salvador nas próximas semanas para uma reunião especial com a Secretaria Extraordinária para Assuntos da Copa (Secopa). “Eles detectaram necessidades de melhorias na mobilidade urbana, saneamento e segurança e garantiram que a questão crucial do Aeroporto de Salvador é a ampliação do terminal de passageiros e das esteiras de embarque e desembarque. Sobre a nova pista a ser construída, isto não é motivo para o colapso do sistema”, destacou.

Pela manhã, Campello recebeu a visita do responsável pelas ações institucionais da Associação Nacional de Transportes Públicos (ANTP), Nazareno Stanislau Affonso, e das representantes da Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedur), a superintendente de Planejamento e Gestão Territorial, Graça Torreão, e a diretora de Mobilidade Urbana e Interurbana, Grace Gomes.

Segundo observou o representante da ANTP, Nazareno Affonso. “O principal desafio da mobilidade urbana é unificar acessibilidade, sustentabilidade e o transporte de massa. E a Copa 2014 é uma oportunidade sem igual para atingirmos esses objetivos”.
Grace Gomes disse que as intervenções que serão feitas na cidade vão trazer um novo conceito de mobilidade. “A realidade local já exige um reestruturação e a Copa 2014 vem para reforçar essa necessidade”.