A crise econômica mundial e seus efeitos no mercado de trabalho são o centro da pauta da reunião nacional de secretários estaduais do Trabalho que acontece nesta quinta-feira (5) no Hotel Pestana, em Salvador. O encontro visa discutir o reflexo da crise, mas também analisar e deliberar propostas que minimizem o seu impacto nos estados.

A abertura do encontro, prevista para as 9h, conta com a presença do governador Jaques Wagner. Em seguida, a diretora da Organização Internacional do Trabalho (OIT) no Brasil, Laís Abramo, fará um balanço sobre a atual situação do emprego no Brasil e as perspectivas para o ano de 2009.

De acordo com dados apresentados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), houve uma queda no crescimento na geração de postos de trabalho em praticamente todos os estados. O país fechou o ano de 2008 com 1.452.202 novos empregos, contra 1.617.392, em 2007.

A Agenda do Trabalho Decente proposta pela OIT também está na pauta do encontro, visto que, com a crise financeira, aumenta ainda mais o desafio de governantes na proteção ao trabalho digno e de adoção de políticas que garantam a inclusão de homens e mulheres no mercado formal de trabalho.

A retomada do funcionamento do Fórum Nacional dos Secretários de Estado (Fonset), importante espaço de diálogo e troca de experiência entre os estados e de negociação junto a outros órgãos governamentais, também será tratada no encontro, que prevê ainda a discussão sobre financiamento federal de programas de qualificação, que ao final de 2008 sofreu corte significativo, comprometendo as metas traçadas pelos estados.

Ao final, será elaborada a Carta de Salvador, com as deliberações e encaminhamentos do encontro. Além de secretários e da diretora da OIT no Brasil, participa da reunião o secretário Executivo do Ministério do Trabalho e Emprego, André Peixoto Lima.