Promover a adequação ambiental e o licenciamento de duas mil propriedades rurais na região Oeste da Bahia num prazo de 24 meses é uma das principais metas do Plano de Adequação Ambiental do Oeste da Bahia. O plano será lançado pela Secretaria da Agricultura, Irrigação e Reforma Agrária, (Seagri), em parceira com a Secretaria do Meio Ambiente (Sema) e a Casa Civil, nesta quinta-feira (5), em Barreiras.

Como ação integrante do Projeto Seagri Itinerante, os secretários Roberto Muniz, da Agricultura, e Juliano Matos, do Meio Ambiente, assinam em Barreiras a Portaria Conjunta 001, dispondo sobre a criação do plano que consolidará a gestão ambiental na região Oeste da Bahia.

A portaria constitui um Grupo de Trabalho (GT), coordenado pela Superintendência de Políticas Florestais, Conservação e Biodiversidade da Sema. O GT tem em sua composição engenheiros florestais, agrônomos, biólogos, advogados, geógrafos e especialistas em fiscalização, e técnicos agrícolas. Todos eles pertencem aos quadros da Seagri e da Sema.

A iniciativa do Governo do Estado tem o objetivo de encontrar solução para o passivo ambiental no Oeste, problema que persiste há pelo menos duas décadas.

O Plano de Adequação Ambiental do Oeste faz da Bahia pioneira nesta linha de ação, numa região estratégica do ponto de vista do agronegócio e da conservação ambiental, e servirá de modelo para outras regiões do estado e para o país. Um dos pontos de destaque no plano é que atende à exigência do Ministério do Meio Ambiente de que todas as propriedades rurais têm que ter reserva legal, correspondente a 20% da área da propriedade.