O edital de licitação para a dragagem dos portos de Aratu e Salvador será lançado até o final deste mês. A obra, que faz parte do PAC e está orçada em R$ 80 milhões, foi o assunto de uma reunião, nesta terça-feira (3), entre governador Jaques Wagner e o ministro da Secretaria Especial dos Portos, Pedro Brito. No encontro eles também e trataram dos próximos passos da política de portos na Bahia.

A dragagem, que consiste na retira de sedimentos para aumentar a profundidade dos canais do cais, vai possibilitar a atracação de navios maiores que movimentam mais mercadorias e são tendência no comércio mundial.

Wagner e Brito conversaram ainda sobre a operação do Porto de Ilhéus em regime de concessão à iniciativa privada, além da construção da Via Expressa Portuária, que deve facilitar o acesso de cargas ao porto de Salvador.

Via Expressa

A Via Expressa Portuária deve ligar diretamente o Porto de Salvador até a BR-324. A movimentação atual do Porto é de 250 mil contêineres por ano. Com a obra esse número pode chegar a três milhões de contêineres. Além disso, a Via deve desafogar o trânsito na Rótula do Abacaxi e revitalizar o bairro do Comércio.

A estimativa é que trafeguem pelo local 62,3 mil veículos diariamente, sendo 3,4 mil de carga e 58,9 mil comuns. A Via terá 4,3 mil metros, conterá com três túneis, quatro passarelas, 14 viadutos, ciclovia, 10 faixas de trânsito sendo seis urbanas e quatro exclusivas de carga.

A obra está orçada em R$ 381 milhões, sendo que R$ 339,3 milhões são do Departamento Nacional de Infra-estrutura de Transportes (Dnit) e R$ 41,7 milhões, dos cofres do Governo do Estado. A primeira fase da obra, que custa R$ 204 milhões, já foi licitada e aguarda homologação do Dnit.