A Secretaria da Educação do Estado (SEC) lançou, em Camaçari, o primeiro projeto educacional em articulação com o Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci) do país – o Protejo.

A iniciativa visa promover a inclusão social dos jovens de 15 a 24 anos por meio da arte-educação. Em sua fase experimental, o Protejo atenderá 592 jovens em situação de risco de bairros carentes de Salvador e região metropolitana.

O Protejo dá seguimento à proposta do Governo do Estado de direcionar um olhar especial à juventude baiana. “Programas como o Trilha, que também elevam a escolaridade do jovem baiano, faz parte de uma política para a juventude que, por muito tempo, ficou esquecido”, declarou o secretário da Educação, Adeum Sauer que participou, na quarta-feira (18) da solenidade de lançamento ao lado do prefeito de Camaçari, Luiz Caetano, e o delegado-chefe da Polícia Civil, Joselito Bispo.

A proposta é que o projeto consiga estreitar os laços entre a escola, a comunidade e os jovens inseridos no programa, contribuindo para o sentimento de pertença da comunidade local e a integração entre seus diversos atores sociais. “Queremos fazer com que a juventude se integre à comunidade. Pela educação se consegue trabalhar melhor pela juventude, dar-lhes outras perspectivas”, afirmou Sauer.

Para o delegado Joselito Bispo, a polícia cidadã precisa de parcerias como a do Pronasci. “Com o programa começamos a fazer segurança pública com cidadania. Esta é a oportunidade para que os jovens de hoje não sejam a marginalidade de amanhã”, afirmou.

Em Camaçari, 100 jovens dos bairros Poch 2, 2 e 3 foram selecionados por meio de um questionário, para o Projeto. Abisai da Luz, 16, morador do Poch I, participará da oficina de informática. Para ele, esta é uma oportunidade ímpar. “O meu bairro não oferece nenhum tipo de atividade. No projeto teremos aulas de grafite, brack e até Hip Hop”, confirmou.

O jovem Ian Pedro, 15, vai fazer oficina de basquete. Segundo ele, o projeto afasta os jovens do mundo das drogas e da criminalidade “ocupa o tempo e desenvolve habilidades”.

Para o prefeito Luiz Caetano, o projeto está dentro do novo conceito dos governos federal e estadual de aliar Educação e segurança pública. “A cruzada da prefeitura de Camaçari é contra as drogas em todos os campos”, enfatizou.

Público

Inicialmente serão atendidos, 100 de Camaçari, 115 de Lauro de Freitas, 100 de Simões Filho e 277 de Salvador, sendo 142 de Tancredo Neves e 135 de São Cristóvão. Os municípios e bairros escolhidos foram identificados dentre os territórios que apresentam alto índice de homicídios, conforme o “Diagnóstico de incidência de homicídios nas regiões metropolitanas”, produzido pela Secretaria Nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça.

O programa será desenvolvido em duas etapas, sendo a primeira por meio de oficinas de arte-educação (dança, teatro, música, artes plásticas, literatura, educomunicação, esporte e informática), no intuito de promover a aproximação e o reconhecimento de si e dos outros enquanto indivíduos com direitos e deveres.

Já a segunda etapa, consiste na construção de projetos locais sócio-educativos que promovam o protagonismo juvenil. As duas etapas serão aplicadas em 21 escolas estaduais, que disponibilizarão a estrutura física e professor/articulador.

Todas as etapas serão desenvolvidas com a ajuda de uma equipe multidisciplinar formada de pedagogos, psicólogos, sociólogos e educadores. Nos três anos seguintes, haverá o acompanhamento de percurso destes alunos, pelos profissionais envolvidos. O projeto é uma parceria com os municípios e já tem disponibilizados R$1, 673 milhões do governo federal à fase experimental.