Com atuação em 407 municípios baianos, o Programa de Combate à Pobreza Rural (PCPR), conhecido na Bahia como Produzir, está mudando de vez a realidade de populações residentes no interior baiano. Somente nos municípios de Seabra, Crisópolis, Nova Ibiá, Umburanas, Guanambi, Várzea do Poço e Ibiassucê, com investimentos que chegam a R$ 1,1 milhão, o governo estadual está executando obras importantes para a melhoria da qualidade de vida e o desenvolvimento das comunidades rurais.

As intervenções, que compreendem a implantação de 223 cisternas, uma unidade de torrefação de café, uma fábrica de doces, além da ampliação de um sistema de abastecimento de água e a capacitação de beneficiários, estão sendo realizadas pela Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), empresa vinculada à Secretaria de Desenvolvimento e Integração Regional (Sedir).

Nesses municípios, estão sendo contempladas aproximadamente 500 famílias nas comunidades de Lagoa de Boa Vista, Barreiras, sede de Nova Ibiá, Marrecas, Tabua dos Alves, Barro Preto-Umburanin, Gameleira, Tabua Grande, Itapoan e Alto do Cruzeiro.

Para o presidente da Associação Comunitária de Tabua dos Alves, Amerval Rocha, fundada em 89 e situada no município de Guanambi, a construção de cisternas na localidade traz mais dignidade para os moradores da região, que há anos sofre com a escassez de água. “Esta iniciativa do governo está sendo muito boa, porque agora cada um vai ter sua água em casa. Tudo vai poder ser feito com rapidez. Ninguém vai precisar andar para longe, carregando lata de água”, disse satisfeito.

Ele ressaltou que o uso de carro de boi e de animais para pegar água sempre foi frequente nos povoados e que as famílias se deslocavam cinco quilômetros ou mais em busca de água para beber. “Essas cisternas estão melhorando nossa saúde, não vamos mais ter que beber água contaminada. Todo mundo aqui tinha que ir para a lagoa ou para o caldeirão, um poço, para ter água e fazer a limpeza dentro de casa”.

Segundo Amerval, em fazendinhas próximas como Sítio, Caça-peixe, Estiva, Buracão, Chiqueiro Velho e Manoel Dente, localizavam-se fontes de água, que eram constantemente usadas pelas comunidades. “Andávamos até lá para conseguir o que beber. Em setembro e outubro, o sofrimento era maior devido à seca na região”, informou.

Além dessas comunidades, contempladas com a implantação de cisternas e sistemas de abastecimento de água, em 2008, mais de 30,7 mil famílias – moradoras de comunidades pobres de 194 municípios baianos – foram beneficiadas pelo Produzir, com a conclusão de 343 projetos. Os projetos envolveram ações nas áreas de saúde, saneamento, geração de renda e de infraestrutura, totalizando um investimento de mais de R$ 35,7 milhões, sendo mais R$ 15,1 milhões repassados a associações.

Com as ações do Produzir, a Sedir também firmou 240 novos convênios com associações comunitárias, beneficiando 21.561 famílias em 107 municípios, totalizando recursos da ordem de R$ 20,8 milhões, com a construção de cisternas, barragens, sanitários, mecanização agrícola, unidades de beneficiamento de leite, café, mel e projetos de geração de emprego e renda. Atualmente, existem 842 projetos em andamento, cuja conclusão está prevista para dezembro de 2009.