Com o objetivo de garantir a sustentabilidade aos sistemas de abastecimento de água, a Companhia de Engenharia Ambiental da Bahia (Cerb), empresa da Secretaria de Meio Ambiente, capacitou operadores de 32 municípios baianos e 28 técnicos da empresa que participaram dos cursos “Operação e Limpeza Química de Dessalinização” e “ Gestão e Sustentabilidade dos Sistemas de Dessalinização”.

O treinamento dos operadores das 32 prefeituras municipais aconteceu no Núcleo Regional de Feira de Santana, no período de 26 a 28 janeiro último. Além das aulas teóricas, os operadores colocaram em prática os conhecimentos sobre dessalinizador quando foi feita uma visita ao sistema instalado na localidade de Maia, em Feira de Santana.

Já o Curso de “Gestão e Sustentabilidade dos Sistemas de Dessalinização”, contou a participação de 28 técnicos da Cerb. Essa é a segunda turma de formação de gestores na empresa com a participação do professor Kleper França, da Universidade Federal de Campina Grande (PB) . O curso aconteceu na Unidade Corporativa do Servidor, da Secretaria da Fazenda, na Av. Barros Reis, nos dias 29 e 30 de janeiro.

Ao longo dos anos, vários sistemas de abastecimento com dessalinizadores foram instalados no Nordeste sob a coordenação de diversos órgãos estaduais e federais, mas nenhum deles recebeu instruções de natureza técnica do funcionamento e programas de manutenção/despesas. Esses fatos geraram sistemas fora de operação em diversos estados do Nordeste. Para Cícero Monteiro, presidente da Cerb, essa capacitação que vem sendo desenvolvida pela empresa garante o monitoramento e sustentabilidade dos sistemas, onde possa existir a participação permanente da comunidade dentro do processo.

Tecnologia Alternativa

Em 60% do semiárido baiano a água é salobra e imprópria para beber. O governo da Bahia, por meio da Cerb, tem implantado dessalinizadores que transformam água salobra em potável. Os primeiros aparelhos começaram a ser instalados na década de 90 e até o momento são mais de 350 no sertão da Bahia.

As soluções para a questão do abastecimento de água variam de acordo com cada região do estado. Em alguns casos o uso de tecnologia alternativa foi o ponto de partida encontrado pela Cerb para resolver o problema de muitas localidades do semi-árido, onde poços perfurados pela empresa inviabilizavam o aproveitamento da água para consumo humano e até animal. A solução encontrada foi a instalação de dessalinizadores, minimizando os efeitos da seca.

A Cerb é pioneira no Nordeste na utilização de dessalinizadores, tecnologia que passou a ser absorvida por outros estados. Na avaliação de Cícero Monteiro, presidente da Cerb, a empresa sempre buscou alternativas que melhor se adequassem à realidade do semi-árido, onde apresenta o maior índice de perfuração de poços tubulares com água salobra , além disso, a ocorrência das secas periódicas tem provocado grandes prejuízos à economia regional, principalmente ao setor rural, e a alternativa encontrada pelo governo da Bahia para transformar esse quadro desolador é a implantação de programas com o uso de tecnologia alternativa.

O semi-árido baiano é formado, na sua maioria, por rochas calcárias, com grandes quantidades de sais, que não são os mesmos encontrados no mar que dão origem ao sal de cozinha. Esses sais são formados principalmente por cálcio e magnésio que deixam a água imprópria para o consumo humano e favorecem a formação de pedras nos rins e vesícula. Com a implantação de dessalinizadores, a empresa encontrou uma maneira de purificar a água.

Como funciona

O sistema dessalinizador tem capacidade em média de 25 metros cúbicos de água por dia e funciona através de osomose reversa. Isso ocorre através do impulso de duas soluções de concentrações diferentes que se encontram separadas por uma membrana semipermeável. Várias camadas finas e unidas que são enroladas em espiral ao redor de um tubo plástico, permitindo, assim, que atravesse a água, sendo retidos os sólidos dissolvidos.Quando a água a ser tratada passa através da superfície da membrana é coletada água potável no centro do tubo.

O uso dessa tecnologia já é muito comum em outros países como Arábia Saudita, Israel, Canadá, Espanha e Estados Unidos. Nesses países, a dessalinização é feita em grande volume de água do mar para abastecer cidades e também é utilizada na agricultura em grande escala. Os equipamentos são de fácil instalação sendo que sua vida útil chega a 10 anos no mínimo, desde que a manutenção seja feita de acordo com as normas de operação