No Dia Mundial de Prevenção do Suicídio – 10 de setembro – o Centro de Informações Antiveneno (Ciave), unidade da Secretaria da Saúde do Estado (Sesab), promoverá o 1º Fórum Baiano sobre o Suicídio: A Prevenção como Alternativa, com o objetivo de reunir profissionais de diversas áreas para discussões sobre o suicídio e a importância das ações de prevenção.

O evento será realizado no Salvador Praia Hotel, das 8h30min às 18h, e marcará também o primeiro ano – em outubro – de funcionamento do Núcleo de Estudo e Prevenção ao Suicídio (NEPS) do Ciave, e os 28 anos do centro, inaugurado em agosto de 1980.

Segundo a psicóloga Soraya Carvalho, coordenadora do NEPS, o suicídio atualmente é considerado um grave problema de saúde pública. Estudos da Organização Mundial de Saúde (OMS) indicam que são contabilizados anualmente aproximadamente um milhão de suicídios no mundo.

Para cada caso, estima-se entre 15 e 25 tentativas, sendo a depressão o principal fator associado ao risco de suicídio. “A OMS calcula que o gasto mundial com suicídio é em torno de 1,8 milhão de dólares/ano, o equivalente ao custo de uma guerra”, enfatiza a psicóloga, acrescentando que a organização tem recomendado que os países invistam em políticas de prevenção.

Acompanhamento

Inaugurado há quase um ano, o NEPS disponibiliza acompanhamento especializado em psicologia e psiquiatria para pacientes atendidos em unidades hospitalares da rede pública estadual por tentativa de suicídio. O serviço, que anteriormente funcionava de forma ambulatorial, apenas para pacientes atendidos no Hospital Roberto Santos, teve o número de consultórios ampliado, passou a dispor de uma área para terapia ocupacional e maior número de profissionais especializados.

A coordenadora do núcleo informa que desde a entrada em funcionamento, a procura pelo serviço tem sido grande e já se observa uma necessidade de sua ampliação. Pioneira no país, a experiência de acompanhamento psicológico ambulatorial contínuo a pacientes com comportamento suicida adotada pelo Ciave foi apresentada em diversos encontros científicos.

“A assistência psicológica para os pacientes que tentaram suicídio e, principalmente, o trabalho de prevenção é uma prioridade do núcleo”, enfatiza Soraya Carvalho. De acordo com a psicóloga e psicanalista, a continuidade do acompanhamento posterior ao atendimento emergencial tem resultado numa taxa inferior a 0,01% na reincidência de tentativa.

A toxicologista Daisy Schwab, diretora do Ciave, explica que o NEPS não oferece atendimento emergencial e as consultas deverão ser agendadas previamente. Além do acompanhamento psicológico, o núcleo oferece atendimento psiquiátrico ambulatorial, terapia ocupacional e reuniões informativas para familiares dos pacientes, além de investir na promoção de atividades educativas, reuniões científicas e estágios especializados.

Estratégias

O fórum Baiano terá a participação de profissionais do Ciave e palestrantes convidados, entre eles, o psiquiatra Neury Botega, professor da Universidade Estadual de Campinas e assessor do Ministério da Saúde e da OMS para a questão do suicídio, que vai proferir conferência sobre “Tentativa de suicídio: passos numa estratégia de prevenção”. A programação terá ainda mesa redonda sobre o serviço de psicologia do Ciave/NEPS, especificidades da clínica com paciente suicida, o suicídio sob diferentes perspectivas e religião e suicídio.

Ciave

O Centro de Informações Antiveneno foi o segundo do país a entrar em funcionamento, constituindo-se atualmente em referência para o todo o Nordeste. É considerado pela OMS como modelo para países em desenvolvimento.

Atua como responsável pelo fornecimento de informações toxicológicas para a Bahia e outros estados nordestinos, orientação, diagnóstico e terapêutica de pacientes intoxicados, realização de análises toxicológicas de urgência, identificação de animais peçonhentos e plantas venenosas, controle e manutenção de bancos de antídotos e sua distribuição na rede estadual de saúde.