Matéria publicada em 02/06/2008 – 11:30

Atualizada em 02/06/2008 – 18:55

A polícia baiana conseguiu desarticular nesta segunda-feira (2) uma das maiores organizações criminosas do estado, envolvida em tráfico de drogas, homicídios, assaltos a bancos e seqüestros. Foram presos, em diversos bairros de Salvador, 26 integrantes da quadrilha, 13 em flagrante. “Apenas um deles conseguiu fugir, no Bairro do Paz, mas já estamos investigando seu paradeiro”, afirmou o secretário de Segurança Pública, César Nunes.

O líder da organização, o traficante Genilson Lima da Silva (o Perna), comandava o bando de dentro da Penitenciária Lemos de Brito, em Salvador, onde cumpria pena de 39 anos de prisão, por tráfico de drogas e assalto a bancos. Após cinco meses de uma operação sigilosa, os policiais, que trabalharam com 26 mandados de prisão e 35 de busca e apreensão, atuaram também de surpresa na cela de Perna, onde recolheram seis celulares, armas, 7 kg de cocaína, crack e maconha, além de R$ 280 mil em dinheiro.

Na cela, foram encontrados ainda equipamentos que revelavam que ele vivia em condições especiais para um detento, a exemplo de um DVD, um televisor de plasma, duas geladeiras, uma cama de casal e aparelhos de ginástica. “Um nível de conforto que já está sendo investigado pelo Ministério Público para ver se havia algum tipo de conivência por parte da direção do presídio ou funcionários do sistema prisional”, afirmou o promotor Paulo Gomes, que coordena o Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco).

O Ministério Público também participou da operação batizada de Big Bang, que foi coordenada pela Superintendência de Inteligência da SSP, envolvendo no total cerca de 500 policiais, entre civis e militares. A partir das investigações ao Perna, que já era considerado o maior traficante do estado, a polícia chegou aos demais integrantes da organização, que tinham como principal atividade o tráfico de drogas nos bairros do Nordeste de Amaralina, Retiro, Itapuã, Estrada Velha do Aeroporto e Bairro da Paz.

“Após a morte do traficante Pitty, no ano passado, eles quiseram assumir o comando, inclusive alugando armas para outras quadrilhas atuarem em assaltos a banco e a carros-forte em diversas partes do estado”, informou César Nunes. Um vídeo, com o momento da apreensão realizada na cela do líder Perna, e um CD, contendo gravações de escutas telefônicas dele ordenando homicídios, assaltos e seqüestros, foram distribuídos à imprensa. A polícia e o MP agora vão recomendar à Secretaria de Justiça a transferência do traficante para presídios federais de segurança máxima, “provavelmente, em Catanduvas, no Paraná, ou em Campo Grande, no Mato Grosso”, como declarou o promotor Paulo Gomes.

Também foram cumpridos os mandados de prisão expedidos pela Justiça contra Aílton Nascimento Carvalho, Hélio Antônio de Oliveira Rocha, Edmilson Pereira Santos (Missinho), lnadro Rocha de Freitas, Luciano dos Santos Santana, Fernando da Conceição Lima e Francisco Pereira Góes (Fortaleza).

Entre os 13 presos em flagrante pela Operação Big Bang estão Moabi Silva Soares (Cabeção), Augusto Percilino Almeida Cruz (Malhado), Tiago Luís dos Santos (Toshiba), Dayvisdon Soares Soares dos Santos (DVD), Valtônio Nascimento de Souza (Val), Eduardo Oliveira dos Santos (Edu) e Adriano Vieira Pintaga de Jesus.