Um grande estoque de medicamentos dos mais utilizados pela população, considerados essenciais nas áreas de atenção básica e saúde mental, encontra-se à disposição imediata da Secretaria Municipal de Saúde de Salvador (SMS), no Almoxarifado da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab), na Avenida Paralela. São 54 itens no valor de R$ 2,06 milhões, referentes ao fornecimento do Estado em Assistência Farmacêutica na Atenção Básica.

Entre antihipertensivos (pressão alta), hipoglicemiantes (diabetes), antibióticos, antitérmicos, analgésicos, antiinflamatórios, antifúngicos, antidepressivos, antipsicóticos e anticonvulsivantes, são quase 60 milhões de unidades de comprimidos, cremes e soluções orais e para inalação.

“O que nos preocupa é o fato de estar com todo esse estoque disponível e a população estar sem esses medicamentos. Na terça-feira (3), tivemos uma reunião com a Coordenação da Assistência Farmacêutica do município, no sentido de agilizar a distribuição dos medicamentos, para que eles cheguem às pessoas”, afirma a superintendente de Assistência Farmacêutica, Ciência e Tecnologias em Saúde da Sesab, Gisélia Santana Souza.

Ela explica que os medicamentos estocados integram o elenco de referência de medicamentos pactuado pela própria SMS, com a Comissão Intergestores Bipartite (CIB), que congrega as secretarias municipais e estadual da Saúde. “A lista de medicamentos é elaborada dentro de uma demanda programada, de prevalência daquelas patologias de maior incidência na população e que, por isso, são de grande consumo. Como na população negra a incidência de hipertensão é elevada, Salvador, por ter uma população predominantemente negra, mantém uma prevalência de hipertensão de cerca de 30%”.

Na lista dos disponíveis para a prefeitura de Salvador, constam, entre os 54 itens estocados, nada menos que 15 milhões de comprimidos de Captopril 25mg, 8 milhões de comprimidos de Hidroclorotiazida 25mg, 3 milhões de comprimidos de Nifedipina 20mg e 2,5 milhões de comprimidos de Propanolol 40mg, todos antihipertensivos. Para tratamento de diabetes, há 5 milhões de comprimidos de Metformina 850mg, 4 milhões de Glibenclamida 5mg e 1,5 milhão de comprimidos de Acarbose 50mg.

Também há 1,5 milhão de comprimidos de Amoxicilina 500mg e 20 mil unidades de Eritromicina solução oral (antibióticos), 700 mil comprimidos de Digoxina 0,25mg (doença cardíaca), 8 mil unidades de Beclometasona – spray nasal e aerossol para inalação (rinite e asma), 50 mil unidades de Mebendazol oral e 600 mil comprimidos de Metronidazol (antifúngicos).

Com aplicação na área de saúde mental, são 1,5 milhão de comprimidos de Carbamazepina 200mg (Tegretol), 500 mil comprimidos de Diazepam 5mg, 2 milhões de comprimidos de Clonazepam 2mg (Rivotril), 500 mil comprimidos de Fluoxetina 20 mg (Prozac). Estes medicamentos são utilizados como antidepressivos, anticonvulsivantes e antipsicóticos.

A Secretaria Municipal de Saúde vem deixando saldo, em medicamentos, desde o ano passado, quando lançou mão do equivalente a R$ 1,3 milhão dos R$ 2,8 milhões a que tinha direito. No primeiro trimestre deste ano, a SMS teria direito a R$ 1,08 milhão, mas retirou apenas o equivalente, em medicamentos, a R$ 280 mil. A soma destes dois saldos é o que está sendo agora disponibilizado pela Sesab, a fim de garantir que a população disponha dos medicamentos básicos.

Desde 2007, a SMS recebe medicamentos do Governo do Estado, quando lançou mão do equivalente a R$ 1,3 milhão. Enquanto o governo da Bahia gastou, em 2006, apenas R$ 4.418 do Tesouro estadual, em medicamentos básicos para os 417 municípios do estado, em 2007 foram investidos mais de R$ 13,4 milhões. Este ano, serão aplicados cerca de R$ 20 milhões para a Farmácia Básica.

No primeiro trimestre deste ano, a SMS tem direito a R$ 1,08 milhão em medicamentos básicos disponibilizados pela Sesab para atender à demanda da população de Salvador.