Identificar entidades que desenvolvem atividades junto à população em situação de rua, mais vulnerável ao adoecimento por tuberculose, e traçar estratégias para uma ação conjunta, visando o maior controle da doença. Esta é a proposta da 1ª Oficina Tuberculose e População em Situação de Rua, iniciado na manhã desta quarta-feira (11), no Hotel Vilamar. O encontro prossegue até a tarde de quinta-feira (12), quando será discutido e apresentado o documento final, com as propostas de intervenção para o problema.

A Bahia ocupa o terceiro lugar em número absoluto de casos no Brasil, concentrando na RMS grande parte da preocupação com o diagnóstico e cura da doença. O Brasil registra em torno de 80 mil casos novos e 6 mil óbitos/ano.