O "Arraiá de Todos Nós", a festa de São João que animará o Pelourinho desde o último fim de semana, continua a partir desta sexta-feira, dia 20. E só vai parar no dia 24 de junho. Serão quatro dias de festas gratuitas para baianos e turistas.

Confira a programação desta sexta até terça-feira

Palco Terreiro de Jesus

20 de junho (a partir das 20 horas)
Virgílio
Forrozão Du Karai
Forrozada
Limão com Mel

21 de junho (a partir das 19 horas)
Del Feliz
Daniela Mercury
Gereba
Zé Costa

22 de junho (a partir das 20 horas)
Alceu Valença
Ladia Betânia
Calango Aceso

23 de junho (a partir das 20 horas)
Carlos Pita
Afro Bossa Nova
Daniel
Forró Site

24 de junho (a partir das 18 horas)
Flávio Santos
Lua Cheia
Trio Nordestino
Xangai

Palco Praça Municipal (a partir das 21 horas)

19 de junho
Ed Bala
Dinho Oliveira

20 de junho
Márcia Porto
Pede Cerva

21 de junho
Forró do Alemão
20 Xote 1 Galope

22 de junho
Xote no Pé
Forró Danado de Bom

23 de junho
Chiado da Chinela
Brilho do Forró

24 de junho
Val Macambira
Eugênio Cerqueira

Infra-estrutura pronta para a festa

O Governo do Estado estará promovendo ainda a infra-estrutura necessária para conforto e segurança do público freqüentador da festa do Pelô, através da participação da Secretaria de Turismo/ Bahiatursa, Secretaria de Cultura, Secretaria de Segurança e Polícia Militar, entre outras instâncias estaduais. Parcerias com secretarias e órgãos da Prefeitura Municipal também garantirão os serviços de limpeza e ordenamento de ambulantes.

O Centro Histórico de Salvador dispõe de três estacionamentos seguros para quem vem de carro. Um fica na Rua Inácio Acyolli, e os outros dois com entradas pela Avenida J.J. Seabra (Baixa dos Sapateiros), para quem vem da estação de transbordo Aquidabã. Desses, com entrada pela Baixa dos Sapateiros, um fica logo abaixo da Praça das Artes que dá acesso direto à Rua Gregório de Mattos, próximo ao Largo do Pelourinho, e o outro, um edifício-garagem com mais de cinco pavimentos, ao lado da ladeira do antigo Cine Pax, dá acesso à Rua das Laranjeiras e é mais próximo do Terreiro de Jesus.

Divulgação nacional

“A Setur e Bahiatursa planejaram esse modelo de festejos para divulgar o São João da Bahia em todo o país como a maior festa regional do Brasil e tivemos todo o apoio do governador Jaques Wagner, que aprovou a idéia. O governo está investindo R$ 10 milhões na infra-estrutura – como segurança e melhorias no acesso rodoviário – e na promoção e divulgação na mídia regional e nacional do São João”, informa o secretário de Turismo Domingos Leonelli.

Segundo ele, a estratégia do governo é a de incentivar a vinda de turistas – principalmente do Sul/Sudeste do país e da Argentina – para Salvador, Ilhéus e Porto Seguro, cidades com aeroportos de grande capacidade para receber vôos e que têm uma melhor infra-estrutura hoteleira. Para tanto firmou parceira com as agências CVC e Thesys, as maiores operadoras de viagens do Brasil e Argentina. Somente a CVC se comprometeu a enviar 20 mil turistas nesse mês de junho – que tem a menor taxa média de ocupação dos hotéis (23 por cento) – que deverão gerar uma renda de R$ 20 milhões.

De dia praia, de noite forró

“Os turistas que virão a Salvador poderão desfrutar durante o dia do sol e das praias, além de visitar os pontos turísticos da cidade, e de noite curtir o São João no Pelourinho. Quem quiser poderá brincar o São João em cidades como Cachoeira, São Félix, Cruz das Almas e Amargosa e voltar a Salvador onde ficam hospedados. É a chamada operação bate e volta”, afirma Emília Salvador Silva, presidente da Bahiatursa.

O secretário Leonelli destaca que Porto Seguro e Ilhéus também terão – além dos conjuntos locais – grandes atrações. Daniela Mercury cantará em Porto Seguro no domingo, 22, às 20 horas, no palco montado na Passarela do Álcool e Margareth Menezes, no dia seguinte. As duas também se apresentarão em Ilhéus, nos dias 23 e 24, respectivamente.

“Além de Salvador, Porto Seguro e Ilhéus teremos festa nos demais 414 municípios baianos, o que caracteriza nosso São João como o maior do Brasil, sem dúvidas. É uma festa democrática, onde o povo participa, e que movimenta a economia do Estado, já que nesse período se vende mais cerveja do que no Carnaval, além de aumentar as vendas de roupas, calçados e alimentos”, comemora Leonelli.