A secretária da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos, Marília Muricy, garantiu à corregedora dos Presídios, desembargadora Telma Britto, que está observando fielmente as competências da Secretaria da Justiça, “embora sem prescindir do apoio de instituições com funções congêneres”.

A afirmação foi feita por meio de ofício em que a secretária reafirmou o interesse pelo desmonte de grupos ligados ao crime organizado dentro das unidades prisionais do estado, lembrando que ações desse tipo já tinham sido tomadas na época em que houve a fuga de um interno do Presídio Salvador.

Muricy enfatizou que a secretaria tem se empenhado em atender as normas impostas pela Lei de Execuções Penais, principalmente as que são voltadas para a ressocialização dos presos. Além disso, destacou que ações de reforço à segurança têm sido tomadas no sentido de impedir que ocorram novas ações do crime organizado nas unidades.

“Apesar das dificuldades, não descuidamos desde o início da nossa administração, das medidas na área prisional, havendo inclusive manifestado ao secretário da Segurança Pública, César Nunes, o nosso interesse na transferência para presídios federais de Genilson Lino da Silva – “Perna” – seus liderados”.

A secretária lembrou ainda que já havia dirigido ao procurador Geral do Estado, Lidivaldo Britto, dias antes da operação na Penitenciária Lemos Brito, solicitação para que o setor do Ministério Público encarregado de combater o crime organizado adotasse providências nesse sentido.