LOCAL: Município de Cachoeira, na região Recôncavo Sul, a 109 quilômetros de Salvador.
DATA: 25.06.08 (quarta-feira)
HORÁRIO: 6h

O QUE É: Transferência provisória da sede do Governo da Bahia para o município de Cachoeira.

INFORMAÇÕES ADICIONAIS:

INSTALAÇÃO: Será a primeira vez na história que a sede do governo baiano será transferida oficialmente para um município do interior. Até então, ocorreram, no máximo, os chamados governos itinerantes, a exemplo do que aconteceu na então gestão de Waldir Pires. Durante todo o dia 25, o governador Jaques Wagner e seu secretariado estarão no município participando das festividades da Independência da Bahia, realizando atos e despachos oficiais da administração estadual.

INICIATIVA: A transferência, todos os anos nesta data, é prevista na Lei 10.695/07, aprovada pela Assembléia Legislativa da Bahia e sancionada pelo governador. Foi o próprio Wagner que ano passado encaminhou ao Legislativo a proposição inspirada na idéia da deputada cachoeirana Lídice da Mata que, ainda quando cumpria o seu último mandato como deputada estadual, foi autora de um projeto semelhante arquivado pela Alba. Agora, com a lei, todos os anos, independente de quem seja o governador, haverá esta instalação provisória da sede do governo em Cachoeira, em sua data magna.

PROGRAMAÇÃO: Começa com salva de tiros, às 6 horas. Já às 8 horas, acontece o hasteamento das bandeiras nacional, estadual e municipal em frente à Câmara Municipal; seguida da celebração de Solene Te-Deum, na Igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário. Às 10h, a Junta Governativa se instala no Centro de Convenções do Carmo e às 12h o governador faz um pronunciamento sobre a importância da data para emissoras de rádio e televisão. A programação será retomada a partir das 14 horas com a sessão solene na Câmara de Vereadores. Logo após, terá início o desfile cívico com a participação de autoridades, populares, bandas marciais e fanfarras, filarmônicas e os carros alegóricos do Caboclo e da Cabocla, este da cidade vizinha de São Félix. Após o desfile, haverá uma concentração em frente ao monumento erguido na Praça Teixeira de Freitas em homenagem aos heróis da Independência. Na oportunidade, autoridades depositarão uma coroa de flores no local como acontece há muitos anos.

HISTÓRIA: Em junho de 1822, o povo de Cachoeira assumiu a liderança do movimento que deflagrou a guerra pela independência da Bahia ao reagir as investidas de uma tropa de militares portugueses, a bordo de canhoeira lusitana fundeada no Rio Paraguaçu, que tentava sitiar a vila com o objetivo de sufocar a mobilização popular contra a dominação colonial. No dia 25 de junho de 1822, os vereadores cachoeiranos reunidos no prédio da Câmara redigiram uma ata aclamando D. Pedro de Alcântara, príncipe regente perpétuo do Brasil. Os cachoeiranos declararam, então, que, a partir daquele dia, a cidade seria território livre do domínio de Portugal. Por isso a data é considerada o marco das lutas no processo de independência da Bahia, culminada no dia 2 de julho de 1823.