Matéria publicada às 10h*
Atualizada às 18h10*

Para as irmãs Helena, Maria Luíza e Ana Sílvia Milhazes, de 78, 80 e 81 anos, naturais de Cachoeira, hoje é um dia especial. “A presença do governador despachando daqui da cidade é um reconhecimento da nossa importância”, orgulhou-se Helena.

Ana Sílvia não poupou elogios à iniciativa de se transformar o município de Cachoeira em capital da Bahia no dia 25 de junho. “Para todos os cidadãos da cidade isso é importante. Achamos que isso pode trazer desenvolvimento para nós”.

Para a provedora da Irmandade da Boa Morte, Joselita Sampaio, a lei que transfere a capital do estado para a cidade na data de 25 de junho é importante para a Bahia e para o Brasil. “Nós recebemos esta homenagem com muito amor e carinho. Levanta a nossa cultura que vivia escondida”, afirmou.

De outra geração, o estudante Samuel de Freitas Santos, 17 anos, vencedor do concurso de redação da Secretaria Estadual de Cultura – Independência da Bahia, destacou os benefícios do evento, não só para o desenvolvimento econômico da região.

“É importante para sermos reconhecidos perante o resto do país. Não é todo mundo que ouviu falar de Maria Quitéria ou que sabe da importância de Cachoeira para a independência do Brasil”, comentou.

E não é somente dentro do país que a data está ficando conhecida. Por ser logo no dia seguinte à festa de São João, turistas estrangeiros e brasileiros têm a oportunidade de assistir às solenidades típicas da data, como desfiles militares e hasteamento da bandeira.

A estudante Kim Loper, 21 anos, natural dos Estados Unidos, veio com mais duas amigas americanas e outra de Salvador para participar das comemorações. “A gente nem sabia que isso ia acontecer aqui, viemos para a festa. Mas, é uma oportunidade que temos de saber mais da história do lugar”, arriscou dizer em português, língua que está aprendendo.

Primeiro governo

Segundo o historiador Ubiratan Castro, diretor geral da Fundação Pedro Calmon, da Secretaria Estadual de Cultura, este é o reconhecimento do papel que a cidade de Cachoeira teve ao se tornar o primeiro governo independente da Brasil. “Quando o governo transfere a capital para cá, está homenageando todos os municípios que tiveram papel de vanguarda no processo de independência”, afirmou.

Castro lembrou que estão reunidos em Cachoeira todo o secretariado estadual, além de prefeitos e representantes das Câmaras Municipais dos municípios mais atuantes na luta pela independência. Para ele, outro fato importante é demonstrar a importância da data para os acontecimentos de 2 de julho. “Daí porque a importância de tornar-se a capital do estado”.