Sob a regência do maestro venezuelano Carlos Izcaray e solos do jovem pianista Chun Wang, 18 anos, a Orquestra Sinfônica da Bahia irá interpretar, nesta quarta-feira (4), às 20h30, na sala principal do Teatro Castro Alves, obras dos compositores Richard Wagner, Franz Liszt e P. I. Tchaikovsky. No mesmo dia, a partir das 9h45, haverá ensaio aberto ao público, com entrada franca.

De Wagner (1813-1883), a orquestra apresenta a abertura da ópera “Rienzi, o Último dos Tribunos”; de Liszt (1811-1886), o “Concerto para piano nº. 1 em mi bemol maior”; e de Tchaikovsky (1840-1893), a “Sinfonia no. 4 Fá menor, op. 36”. Os ingressos (inteira) custam R$ 20 (filas A a W) e R$ 10 (filas X a Z11).

Carlos Izcaray trabalhou com importantes orquestras, como a Sinfônica da Venezuela, Municipal de Caracas e Filarmônica Nacional de Caracas, entre outras. É também violoncelista, e já atuou como solista em orquestras da Venezuela e dos Estados Unidos.

Chun Wang nasceu em 1990, é estudante da Escola de Música do Conservatório Central de Pequim, na classe do professor Zhang Jin. Apesar da pouca idade, traz na bagagem uma série de prêmios. Em fevereiro de 2005, conquistou o 3º lugar no 1º Concurso Internacional de Piano Franz Liszt para jovens pianista em Weimar, na Alemanha; em 2005, foi eleito o melhor no 5º concurso internacional de piano "A Step Towards Mastery", realizado em São Petersburgo , na Rússia. Em 2006, Chun Wang também ganhou o 1º prêmio no 8º Concurso Internacional de Piano V. Krainev em Kharkov, Ucrânia.

As obras

"Rienzi, o Último dos Tribunos” é a terceira ópera de Richard Wagner, de cinco atos, composta em 1840. O libreto foi escrito pelo próprio compositor, embora baseado no romance do novelista inglês Edward George, intitulado "Rienzi, o Último Tribuno Romano", e também baseada numa peça de teatro da novelista e dramaturga também inglesa Mary Russell Mitford.

O “Concerto para piano e orquestra no 1, em mi bemol maior” foi concluído por Liszt em 1849. Teve sua estréia seis anos mais tarde, a 17 de fevereiro de 1855, com o próprio compositor ao piano e Hector Berlioz à frente da orquestra. Alguns musicólogos o consideram o mais brilhante, perfeito e popular de todos os concertos que Liszt compôs. Talvez a sua característica mais marcante seja a interação do piano com a orquestra, sem, contudo, perder o protagonismo.

A “Sinfonia nº 4 em fá menor, op. 36” foi escrita por P. I. Tchaikovsky entre março e dezembro de 1877. Teve sua estréia em Moscou, Rússia, em 22 de fevereiro de 1878, regida por Nikolai Rubinstein. A quarta sinfonia foi dedicada à mecenas de Tchaikovsky, Nadezhda von Meck. A obra é conhecida por seu curioso terceiro movimento, no qual as cordas tocam apenas em pizzicato (modo de tocar pinçando as cordas com os dedos).