Uma missão técnico-fiscal do Ministério de Agricultura, Pesca e Alimentação, da Espanha, desembarca, nesta quinta-feira (19), em Salvador, com o objetivo de conhecer o sistema de defesa fitossanitária da citricultura baiana, desenvolvido, no estado da Bahia, pela Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab), órgão vinculado à Secretaria de Agricultura (Seagri).

As ações conjuntas entre o Ministério da Agricultura (Mapa) e Adab serão apresentadas, em reunião, no mesmo dia, às 8h30, na sede da Superintendência Federal de Agricultura, na Mouraria. O programa da missão contempla os estados da Bahia e São Paulo, dois principais pólos produtores de citrus no país. Entre os assuntos relacionados à defesa de pragas pertinentes aos frutos que serão analisados, estão a certificação fitossanitária (rastreabilidade) em frutos cítricos, forma operativa de prevenção, controle e erradicação de pragas, como o cancro cítrico e pinta preta, e o sistema de análise laboratorial.

A Adab também irá apresentar os cenários econômicos do parque citrícola da Bahia como produção, produtividade, principais regiões produtoras e o processo de Produção Integrada, recém implantado em parceria com a Embrapa Mandioca e Fruticultura. O sistema de fiscalização de material cítrico – em suas barreiras sanitárias fixas e móveis distribuídas por todo estado – será outro ponto apresentado pelo órgão aos integrantes da missão.

"O Estado da Bahia não tem medido esforços para conscientizar os produtores quanto à necessidade do controle preventivo das pragas que atacam os pomares dos citrus, norteando os sistemas de produção de modo a se tornarem mais eficientes e menos onerosos", afirma o diretor de defesa vegetal da Adab, Cássio Peixoto.

Ele cita a exigência na emissão das Permissões de Trânsito de Vegetais (PTIV e PTV) e do documento de Certificação Fitossanitária de Origem (CFO) para as comercializações interestaduais. Atualmente, o plano de trabalho fitossanitário para a cultura dos citrus contempla ações que visam o controle preventivo da Leprose dos citrus nos pomares da região do Litoral Norte, Recôncavo sul, Baixo Médio São Francisco, e região oeste. O plano conta com o aporte de R$ 300 mil do governo federal para este ano, destinados a esta atividade.