A forte parceria entre o Governo do Estado e a iniciativa privada durante a BNTM (Brazilian National Tourism Mart 2008), a maior bolsa de turismo de negócios do país, que aconteceu, este mês, em Salvador, além do anúncio de dois novos vôos charters para a capital baiana, um de Lisboa (Portugal) e outro de Milão (Itália), foram destacados pelo secretário de Turismo, Domingos Leonelli, em um almoço, nesta quarta-feira (17), no Hotel Pestana, com o trade turístico do estado e jornalistas.

Segundo Leonelli, a parceria é uma prioridade fundamental para o desenvolvimento do turismo baiano. Ele espera do empresariado o mesmo empenho demonstrado na BNTM para a promoção do São João da Bahia, que está sendo formatado como um novo produto turístico nacional da Bahia. “O São João ocorre simultaneamente nos 417 municípios baianos. Este ano, acontecerão 2.600 shows em todo o estado”, afirmou.

Para divulgar o evento, haverá um lançamento da festa baiana em São Paulo, no final deste mês ou início de maio. Uma parceria foi feita com a CVC, visando ofertar pacotes atrativos no mercado do Sudeste, que é principal emissor de turistas para o estado.

Sucesso

A presidente da Bahiatursa, Emília Silva, apresentou alguns resultados gerados a partir da realização do evento, a exemplo do movimento de negócios, estimado em US$ 182 milhões, 35% superior ao gerado pela edição do ano passado, realizada em Recife, que obteve receita de US$ 135 milhões. Também houve uma participação recorde de 420 buyers (compradores), bem mais do que os 345 no ano anterior, além da geração de US$ 45 milhões em negócios para a Bahia.

Também nesse ano participaram 227 suppliers (vendedores), 21% a mais em relação a 2007. Foram montados 172 estandes comerciais e 83 institucionais, com a participação de 227 empresas e 588 delegados. “Esse almoço é um encontro para comemorar com o trade o sucesso da BNTM, considerada a melhor e mais bem organizada das suas 17 edições, tanto em representatividade como em qualidade” enfatizou Emília.

A maioria de buyers veio da Argentina, seguida pela Espanha e, em terceiro lugar, Alemanha. A Europa respondeu por 60% do público, sendo que 30% foram da América do Sul e os 10% restantes distribuídos entre Estados Unidos e outras localidades.

Destaque ainda para a participação da Escandinávia (Noruega e Dinamarca), com 23 buyers e dos países do Leste Europeu. Na opinião dos organizadores do evento, novas fronteiras foram ultrapassadas e a tendência é a diversificação do perfil do turista que visitam os pólos turísticos brasileiros.