Os equipamentos adquiridos através do Projeto Bahia Segura são os mais novos reforços do Laboratório Central de Polícia Técnica (LCPT-DPT) para auxiliar no combate a adulteração de combustível. Seguindo o padrão estipulado pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustível, as máquinas, são capazes de identificar se as amostras foram ou não adulteradas, além de apontar o percentual do produto adicionado.

Com uma média de 15 amostras mês, a Coordenação de Química Forense do LCPT prevê um aumento significativo das solicitações. Juntos, o Destilador Automático de Derivados de Petróleo, o Analisador de Gasolina Portátil, o Analisador de Enxofre e o Indicador de Ponto de Fulgor darão mais celeridade com total segurança ao resultado das análises.

Os trabalhos que, anteriormente, eram realizados por meio de uma parceria entre a Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Bio Combustível com a Unifacs, sob a supervisão de Peritos do Laboratório, a partir desta quarta-feira (16) serão inteiramente realizados nas dependências do LCPT.