Começou nesta terça-feira (22) a Campanha de Vacinação Contra a Gripe em toda a Bahia. A meta da Secretaria Estadual da Saúde (Sesab) é imunizar 1 milhão de pessoas com idade acima de 60 anos até o dia 9 de maio. “Para isso, foi montado um esquema especial em 2.600 unidades (de Saúde da Família, Atenção Básica e maternidades) em todo o estado”, explica Fátima Guirra, coordenadora de Imunização da Sesab.

No primeiro dia da Campanha, dezenas de idosos compareceram ao 5º Centro de Saúde, na Avenida Centenário, em Salvador, logo no início da manhã. A aposentada Geni Marques, 80 anos, esperou apenas cinco minutos para ser atendida. Acompanhada do marido, José Marques, 85, ela destacou a importância da vacinação para idosos. “Quando não tomava a vacina, tive uma infecção respiratória e gastei muito dinheiro com remédios. Depois que passei a me imunizar, não fiquei mais gripada”, conta.

O aposentado Dílson Matos, 67, também não deixa de tomar a vacina. “Tem pelo menos quatro anos que não fico gripado. Isso é importante, pois ajuda até o governo a reduzir despesas com internações e medicamentos”.

De acordo com o Ministério da Saúde, as sucessivas campanhas de imunização contra a gripe em idosos contribuíram para a redução em 45% do número de hospitalizações no Sistema Único de Saúde (SUS). “As mortes relacionadas a gripe, pneumonia e doenças bronco-pulmonares em pessoas acima de 60 anos caiu pela metade no Brasil, após a instituição da vacina contra a gripe”, assegura Fátima Guirra.

Contra-indicação

A única contra-indicação para a vacina é para as pessoas que apresentam alergia à proteína presente no ovo, material utilizado na composição do medicamento. O paciente que possui essa característica deve antes procurar o serviço de saúde.

O ponto alto da campanha será no próximo sábado (26), Dia Nacional de Vacinação. Na Bahia, cerca de 7,5 mil postos funcionarão nos 417 municípios. Além disso, serão disponibilizadas outras doses que fazem parte do calendário de vacinação do idoso como vacinas contra pneumococo (para pessoas que estão hospitalizadas ou em abrigos públicos, pneumopatas, diabéticos e cardiopatas), difteria e tétano.