Com o feriado de 21 de abril (Tiradentes), mais de 100 mil pessoas devem deixar Salvador com destino ao interior. A estimativa da Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Energia, Transportes e Comunicações da Bahia (Agerba) é de que passem pelo terminal rodoviário da capital cerca de 55 mil pessoas. Já o Sistema Ferry-boat deve transportar 50 mil passageiros e 5 mil veículos.

Os destinos mais procurados são Lençóis, Porto Seguro, Itacaré, Ilhéus, região do Baixo Sul (Valença, Ituberá e Camamu), Juazeiro, Paulo Afonso e localidades do Litoral Norte, como Praia do Forte, Imbassaí e Conde.

O movimento de saída de Salvador pela rodoviária deve crescer a partir do meio-dia desta sexta-feira (18). Além dos 540 horários normais, as empresas do transporte intermunicipal devem colocar 100 horários extras. A Agerba terá equipes de plantão, em regime de 24 horas, na rodoviária, que atuarão na fiscalização dos ônibus e no atendimento aos usuários.

No Sistema Ferry-boat, a concessionária TWB vai operar em esquema especial, com cinco ferries, dois catamarãs e uma lancha rápida. Os navios vão fazer viagens de meia em meia hora e, caso haja necessidade, em regime de 24 horas.
As vendas de passagens com hora marcada para os feriados são abertas com 30 dias de antecedência. Os dias mais procurados – amanhã (18) e segunda-feira (21) – já estão esgotados. Nos demais dias ainda existem alguns horários disponíveis e a consulta atualizada pode ser feita através do Disk-ferry (3254-1020).

Passageiros em pé

Permanece proibida a viagem de passageiros em pé no sistema intermunicipal. A empresa que não cumprir a determinação judicial pagará multa de R$ 283 por passageiro. Uma recomendação da Agerba para os usuários do transporte intermunicipal é para que evitem o transporte clandestino. Além de não oferecer segurança, os veículos não são vistoriados e, em caso de acidentes, deixam os usuários sem qualquer cobertura de seguro. Estatísticas da Polícia Rodoviária Federal indicam que o número de acidentes nas estradas envolvendo o transporte irregular cresce muito em períodos de festas e feriados prolongados.

Para saber se um ônibus é do sistema regular, basta verificar se ele tem o selo e o número de ordem da Agerba, colocados sempre em locais visíveis da chaparia ou no interior, além do Certificado de Autorização de Tráfego (CAT).

O passageiro que insiste em viajar em ônibus clandestino nunca tem a certeza de que vai chegar ao seu destino, porque em vários pontos das estradas a Agerba mantém blitz com as polícias rodoviárias Federal e Estadual. Reclamações podem ser feitas à Ouvidoria da Agerba, de segunda a sexta-feira, das 7 às 19h, pelo 0800-710080.