“O preço é bom demais!”. Assim, Idalina Santos recebeu a notícia da inauguração da unidade da Farmácia Popular em Camaçari. A dona-de-casa sofre de dores de estômago e colesterol alto e precisa continuamente de remédios. Na farmácia, o medicamento omeprazol (dor de estômago) e sinvastatina (colesterol) custam, respectivamente, R$ 0,23 e R$ 0,28 cada comprimido.

Com a proposta de oferecer medicamentos, apenas mediante receita, até 90% mais baratos que os cobrados no mercado, o governo federal vem inaugurando diversas Farmácias Populares na Bahia. Com as de Camaçari, Santo Antônio de Jesus e Amargosa, inauguradas nesta sexta-feira (25), o programa totaliza parcialmente 13 unidades, das 27 previstas para o estado, sendo oito na capital e cinco no interior.

Donas-de-casa, aposentados, ambulantes e cabeleireiros foram à rua Tumpinambá, no centro da cidade, conferir de perto a inauguração da Farmácia Popular pelo governador em exercício, Marcelo Nilo, que estava acompanhado do secretário Jorge Solla (Sesab) e pelo prefeito Luiz Caetano.

A floricultora Jane Dias avaliou que a população de baixa renda precisa de um atendimento melhor “porque não tem condições de comprar medicamento caro”.

Samu 192

Outra notícia comemorada pela população foi a entrega de três ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu 192), que integrarão a sede regional do serviço para o Litoral Norte. A Central de Camaçari será responsável pela regulação das urgências nas cidades de Mata de São João, São Sebastião do Passé, Pojuca, Dias D’ávila, Conde e Itanagra, além do próprio município.

“Pelo porte e pela importância que tem Camaçari para a região, foi definido que a Central seria aqui”, esclareceu Jorge Solla, informando que, em breve, Pojuca, Dias D’ávila e Conde também ganharão ambulâncias do Samu, a exemplo de Mata e São Sebastião do Passé, que já possuem unidades próprias.

Inês Oliveira acredita que o serviço ficará bem mais rápido: “Se antes eles demoravam 10 minutos para atender nossas chamadas, agora em 5 minutos eles chegarão para prestar atendimento”, espera a aposentada.