O esgotamento sanitário no município de Mucugê (Chapada Diamantina), que está sendo construído pelo Estado, via Companhia de Engenharia Rural da Bahia (Cerb), vai despoluir o Rio Mucugê e proteger seus mananciais.

Com a despoluição do rio, os antigos pontos turísticos (Sandália Bordada e outros balneários naturais) serão resgatados e, além disso, serão melhorados os níveis de saúde pública do município. Mais de 5 mil pessoas que vivem na cidade vão ser beneficiadas com a iniciativa.

“Esta obra é muito importante para a região, porque é uma forma de diminuir os impactos ambientais. A utilização da água para abastecimento acaba na geração de esgotos. Se a destinação dos esgotos não for adequada, termina contaminando as águas superficiais e subterrâneas”, explicou o presidente da Cerb, Cícero de Carvalho Monteiro.

Segundo ele, a Cerb vai implantar também a rede convencional, que tem uma extensão de 4,7 mil metros, e a condominial, com 7,6 mil metros.

A obra foi iniciada no governo passado, que só concluiu 30%, sendo feita uma nova licitação, pela Cerb, para a complementação dos serviços. Os recursos, de R$ 3,49 milhões, são oriundos da Caixa Econômica Federal e governo da Bahia.