O Sistema de Gestão da Qualidade do Rio Pojuca, instrumento para subsidiar o planejamento e decisões governamentais de desenvolvimento e aproveitamento hídrico da bacia do mesmo rio, foi apresentado, nesta segunda-feira (25), durante o Seminário do Projeto Integrado de Desenvolvimento Sustentável da Bacia do Rio Pojuca, promovido pela Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Estado (Semarh).

A ferramenta permite a simulação do que poderá acontecer com a bacia, incluindo a projeção da demanda hídrica, a partir de dados adquiridos nos dois últimos anos, com o estudo da fauna, fontes poluidoras, atividades urbanas e qualidade da água. Isso para viabilizar as estratégias de governo voltadas à preservação da qualidade e a disponibilidade de água.

A idéia é garantir o abastecimento do Recôncavo Norte e da Região Metropolitana de Salvador (RMS), além de proteger a faixa costeira do Litoral Norte. A Bacia do Rio Pojuca agrega hoje 46% da população urbana da Bahia, sendo que quase toda a sua área já sofreu modificações pelo homem.

"Incentivar estudos de bacias"

De acordo o secretário Juliano Matos, as bacias hidrográficas são áreas que servem como referência para a obtenção de informações determinantes. “Devemos incentivar estudos de bacias, colhendo dados econômicos, sociais e geográficos para a criação e implementação de instrumentos de planejamento e gestão”. Para Matos, é importante que os estudos sejam replicados em outras bacias baianas.

O consultor de Meio Ambiente da Fundação Escola Politécnica da Bahia (Fep), Luis Camargo, explicou que a bacia do Rio Pojuca já é alvo de pesquisas que vislumbram a possibilidade de torná-la um manancial para a ampliação da oferta de água para a RMS. Portanto, protege-la é fundamental, ainda mais numa época em que se fala em racionamento de água.

Segundo o diretor da Universitá degli Studi dell’Indsubria, Girdano Urbini, a região hoje, suporta uma situação de grande estresse ambiental, o que torna ainda mais importantes ações de saneamento básico, beneficiando a população e garantindo a sua sustentabilidade. Os estudos realizados têm características de um plano-diretor, acompanhando e avaliando os afluentes, aportes, barragens e o enquadramento ambiental.

O Sistema de Gestão da Qualidade do Rio Pojuca é fruto de uma cooperação técnica estabelecida entre Semarh, Fep e Universitá degli Studi dell’Indsubria. Na oportunidade, o coordenador de Monitoramento da Superintendência de Recursos Hídricos (SRH/Semarh), Maurício Lima, apresentou o Programa Monitora, ação do Programa Água para Todos, do Governo do Estado.