Especialistas da Superintendência de Recursos Hídricos (SRH) estão coletando amostras das águas dos rios das bacias hidrográficas do Recôncavo Sul e do Leste da Bahia para monitorar sua qualidade. A medida integra o Programa Monitora, um investimento de R$ 6,7 milhões do governo do Estado para avaliar, pela primeira vez na história da Bahia, a qualidade das águas dos 75 maiores rios baianos e seus afluentes, nas 17 bacias hidrográficas do Estado, como parte do Programa Água Para Todos.

Na Bacia do Recôncavo Sul, os técnicos estão coletando amostras nos rios Jiquiriçá, Rio de Dona, Rio Una e Rio Jaguaripe, situados entre os municípios de Lage, Jaguaripe, Valença e Nazaré. Já na bacia do Leste, as coletas serão feitas nos rios Una, Colônia, Cachoeira, Almada e Lagoa Encantada, nos municípios de Uma, Itapetinga, Itaju, Itapé, Vila de Castelo Novo, Ilhéus e Itacaré. Já foram coletadas amostras dos rios das bacias do Recôncavo Norte e Inhambupe, Rio Real e Vaza Barris, Chapada Diamantina e Extremo Sul. Na próxima semana, as equipes seguem para a bacia do Rio das Contas e dos Rios Pardo e Jequitinhonha.

As análises dos materiais coletados estão sendo realizadas nos laboratórios do Senai/Cetind e os primeiros resultados das pesquisas serão divulgados em 28 de março, quando serão informadas as principais fontes de poluição, de onde elas vêm,  o tipo e a forma de contaminação da água. Os dados irão subsidiar o governo para a implantação de políticas públicas para a recuperação dos rios de forma a assegurar água com padrões de qualidade a todos os baianos.

Na avaliação da qualidade das amostras, serão considerados diferentes aspectos relacionados ao uso dos recursos hídricos, como os abastecimentos públicos e industriais, a proteção da vida aquática, a balneabilidade, a irrigação, a dessedentação de animais, a recreação e a pesca. Após as coletas em 207 pontos distribuídos entre os rios que compõe as bacias hidrográficas do Estado, será criado um banco de dados sobre a qualidade das águas fluviais de cada região. 

Dados como a identificação das fontes de contaminação, tipos de contaminantes e locais mais comprometidos auxiliarão na criação de medidas de recuperação das mananciais. O Governo do Estado da Bahia prevê um investimento de R$ 6,7 milhões até 2010 para o Monitora.

Dentro da perspectiva do Programa Água Para Todos, o Monitora assegura outro conceito de gestão de recursos hídricos da Bahia, que é levar para os baianos água não só em quantidade, mas em qualidade. O diretor-geral da SRH, Julio Rocha, explica que o programa coloca a Bahia entre os quatro Estados brasileiros que avaliam a qualidade de suas águas. Ele destaca o programa como um marco histórico e assegura que todos os baianos e baianas são beneficiários do projeto, porque ele vai intervir para melhorar a qualidade da água no Estado.